Menu

O Fundador

                           

1-celso-ramos

Celso Ramos - 17º Governador de Santa Catarina
Mandato  31 de janeiro de 1961 à 31 de janeiro de 1966
Antecessor  Heriberto Hülse
Sucessor  Ivo Silveira

 

  Vida
Nascimento  18 de dezembro de 1897 - Lages
Falecimento  1 de abril de 1996 (98 anos) Florianópolis
Progenitores Mãe: Thereza Fiuza Ramos
  Pai: Vidal Ramos
Primeira-dama Edith Müller de Albuquerque Gama


Celso Ramos (Lages, 18 de dezembro de 1897 — Florianópolis, 1 de abril de 1996) foi um político brasileiro.
Filho de Vidal Ramos e Thereza Fiuza Ramos (19 de maio de 1870 — 22 de fevereiro de 1924), casou com Edith Müller Gama (17 de abril de 1904 — 13 de setembro de 1974), em 22 de abril de 1922.
Foi governador do estado de Santa Catarina, de 31 de janeiro de 1961 a 31 de janeiro de 1966.
Foi também presidente do Avaí Futebol Clube, de 1941 a 1946.


Histórico Acadêmico

  • Primário - Colégio São José, Florianópolis
  • Secundário - Colégio Catarinense, Florianópolis
  • Engenharia de Minas - Escola de Minas de Ouro Preto. Curso interrompido no terceiro anos, por motivos de saúde.


Voltando a residir em Lages por conselho médico, dedicou-se à pecuária, em sua fazenda Pinheiro Seco, na Coxilha Rica.
Dois municípios em Santa Catarina foram denominados em sua memória Governador Celso Ramos e Celso Ramos.


Cargos Públicos

  • Presidente do Conselho do Senai de Santa Catarina e Fundador da Instituição, no Estado;

 

Profissões

  • Industrial;
  • Presidente do Avaí Futebol Clube - 1941 a 1946;
  • Governador - 1961 a 1965;
  • Senador - 1967 a 1975.

 

Resumo Biográfico

Ascendência: Celso - Vidal Junior - Vidal Senior – Laureano - Matheus José

Celso Ramos nasceu no dia 18 de dezembro de 1897 em Lages, Santa Catarina. Era filho do governador Vidal Ramos e de Thereza Fiuza Ramos, bisneto de Laureano José Ramos. Estudou o no Colégio São José no ensino fundamental (antigo primário) e posteriormente no Colégio Catarinense.

Iniciou graduação na Faculdade de Engenharia de Minas em Ouro Preto, MG, mas teve que interromper no terceiro ano devido a problemas de saúde, contraindo a Gripe Espanhola. Voltou então para Lages, SC, se dedicando à pecuária, em sua fazenda Pinheiro Seco, na Coxilha Rica.

Casou-se em 1922 com Edith Muller Gama, filha do então desembargador Ayres de Albuquerque Gama e Augusta Muller Gama, sobrinha de Lauro Muller. Sua esposa teve que abdicar de diversos confortos que tinha na época como aulas de piano e outras atividades, morando em Florianópolis, para viver ao lado do marido em Lages, na fazenda. Tiveram seis filhos com os nomes de Maria Helena, Wilma, Thereza, Newton, Celso Filho e Dóris.

Celso, duas vezes ao ano, partia da fazenda, levando mulas e atravessava a Coxilha Rica, São Joaquim, Bom Jardim, descia a Serra do Rio do Rastro para vender alguns produtos que cultivava.

Como fato marcante na vida de Celso Ramos se destaca a fundação da Liga Eleitoral Católica, em 1934, tendo como presidente Accacio Ramos Arruda, entre outros nomes da sociedade lageana.

Também assumiu, em 1931, a prefeitura de Lages, quando era vice de Otávio Silveira Filho que precisou se afastar temporariamente. Já em 1938, se mudou para Florianópolis e passou a se dedicar ao comércio e à indústria, fundando a C. Ramos S.A. concessionária da linha de ônibus que ligava a ilha ao continente.

Em 18 de julho de 1958 perdeu seu irmão Nereu em um desastre aéreo, próximo a Curitiba. Este acontecimento mudou o rumo de sua trajetória política e, na condição de vice do então PSD (Partido Social Democrático), assume a presidência do mesmo.

Foi eleito governador de Santa Catarina em 1960, vencendo contra o oponente Irineu Borhausen. Tomou posse em janeiro de 1961 e uma das suas realizações, já no início, foi promover a reunião dos governadores do Sul, na qual estavam presentes Nei Braga, do Paraná, Leonel Brizola do Rio Grande do Sul, sob a direção de Jânio Quadros, então presidente do Brasil.

  • Visionário, teve atuação efetiva em diversas esferas. Veja as principais:
  • Criou a Cia Florestal de Santa Catarina.
  • Foi agente em Santa Catarina da Cia de Navegação Costeira
  • Foi o fundador e membro da primeira diretoria da Associação Cristã de Moços.
  • Fundou o Sindicato da Extração da Madeira e, posteriormente, a (FIESC) Federação das Indústrias de Santa Catarina.
  • Foi presidente por cinco eleições consecutivas da FIESC (Federação das Indústrias de Santa Catarina) e idealizou o Seminário Socioeconômico da instituição.
  • Fundou o IPESC (Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina).


Como governador, Celso Ramos criou e instalou diversas instituições, entre elas:

  • Faculdade Social e a Faculdade da Educação e, desta última, nascia a UDESC.
  • Banco do Estado de Santa Catarina (BESC).
  • Implantou com os governadores do Rio Grande do Sul e Paraná, o Banco de Regional de Desenvolvimento (BRDE) e o CODESUL (Conselho de Desenvolvimento de Extremo Sul).
  • Criou o IRASC (Instituto da Reforma Agrária de Santa Catarina).
  • Construiu e inaugurou o Hospital dos servidores Públicos, Hospital Celso Ramos.
  • Alterou e modernizou a CELESC (Companhia de Energia Elétrica de Santa Catarina).
  • Criou e implantou a Secretaria do Oeste.
  • Construiu seis usinas elétricas, milhares de quilômetros de redes de distribuição, dezenas de postos de saúde, diversos ginásios, colégios e fóruns em todo o estado de Santa Catarina.

Deixou o governo para, em 1966, concorrer a uma vaga ao senado federal no qual foi eleito. Encerrou seu mandato em 1974 para voltar à “querência”, se dedicando então à pecuária no interior da Ilha de Santa Catarina, em sua fazenda Santa Tereza. Na fazenda, criou o gado holandês e o pitangueira. Faleceu aos 98 anos.