Menu

Projeto Apoio Sócio Educativo

1. PROJETO APOIO SÓCIO EDUCATIVO EM MEIO ABERTO

Prestar auxílio sócio educativo a 80 (oitenta) crianças e adolescentes, da faixa etária de 06 a 16 anos, provenientes de famílias com baixo poder aquisitivo, que apresentam carências de ordem afetiva, cognitiva e econômica, entre outras, residentes nos morros situados no centro da capital. Visa contribuir para a formação da cidadania e a melhoria da auto-estima através de oficinas. Os beneficiários encontram-se regularmente matriculados nas Escolas Públicas das redondezas, e, também, alguns são beneficiados do PETI (Programa do Governo Federal contra a exploração do trabalho infantil), estudantes do ensino fundamental e médio.

As crianças e adolescentes que participam do Projeto Espaço Alternativo da Fundação Vidal Ramos, realizam atividades pautadas nas seguintes diretrizes: realização das tarefas escolares, projetos temáticos e outras atividades que contribuem para o processo educacional.

Desenvolvemos um trabalho coletivo que tem por princípio básico a cooperação, a solidariedade e o respeito mútuo. Os encaminhamentos têm como base os princípios norteadores das Diretrizes Curriculares Nacionais que são:

• Princípios Éticos: autonomia, responsabilidade, solidariedade, respeito ao bem comum.

• Princípios Políticos: direitos e deveres da cidadania, do exercício da criatividade, de respeito a ordem democrática, da participação.

• Princípios Estéticos: sensibilidade, criatividade, ludicidade, diversidade de manifestações artísticas e culturais, múltiplas linguagens (música, dança, poesia, etc). Bem como, seguir as normas dos princípios da Secretaria Municipal de Educação da rede municipal de Florianópolis:

1. Perceber o aluno como sujeito social de direitos;

2. Ter como meta o desenvolvimento das múltiplas dimensões humanas;

3. A complementaridade da educação na relação Fundação Vidal Ramos/família;

Entendemos que para trabalhar com crianças e adolescentes de 6 a 16 anos, temos que promover educação e cuidado que possibilitem a integração entre os aspectos físicos, emocionais, afetivos, cognitivos, lingüísticos e sociais de cada atendido, que é um ser total, completo e indivisível.

Propiciar e garantir um ambiente rico, prazeroso, saudável, não discriminatório inserindo-os na diversidade das culturas e etnias raciais de experiências educativas e sociais variadas.

Organização dos grupos

Os grupos serão organizados segundo a faixa etária de cada atendido pelo projeto.

Horário de atendimento

Período matutino das 08:00 às 11:30 horas e período vespertino das 13:00 às 17:30 horas.

Organização das oficinas

As oficinas serão desenvolvidas com turmas separadas e administradas por Professores cedidos pela Prefeitura Municipal de Florianópolis intercalados com os demais colaboradores da própria Fundação Vidal Ramos, com duração de uma hora cada atividade por grupos.

Professores

Quantidade Aréa Específica Carga horária Turno
01 Professor de series iniciais 40 Matutino vespertino
01 Professor de series iniciais 20 Vespertino
01 Professor de Informática 40 Matutino vespertino

 

          

Alimentação

Horário

Tipo de Refeição

Quantidade/Dia Dia/Mês Total/Mês
08:00h Café da manhã 30 22 660
15:30h Lanche 70 22 1.540
Total - 100 22 2.200

 

 

Projeto Político Pedagógico

Introdução

A Fundação Vidal Ramos (FVR) apresenta o presente Projeto Político Pedagógico - PPP, para ser desenvolvido no ano de 2013, podendo ser renovando, na ausência de proposições de mudanças ou melhorias. O PPP baseia-se na política educacional vigente, preconizada pelo Ministério da Educação e na contribuição de pensadores influentes tais como Piaget e Vygotsky. Ao elaborar este documento, o Projeto Espaço Alternativo FVR busca destacar a função principal da entidade que é cuidar e educar, complementando e não substituindo a escolarização, consolidando, desta forma, o seu papel social e viabilizar, por seus meios de financiamento, o progresso no desenvolvimento das crianças e dos adolescentes assistidos, preservando os bem-estares físico e mental; estimulando seus aspectos cognitivo, emocional e social.

Decidimos por uma fundamentação pedagógica que permita acompanhar as crianças e adolescentes em seu desenvolvimento considerando suas particularidades e ao mesmo tempo oferecendo suporte afetivo e educativo.

O PPP é uma proposta flexível, a ser permanentemente revisada, atualizada e concretizada nos projetos educacionais, planejados periodicamente. Estão contidas as tendências pedagógicas utilizadas na educação, bem como o sistema de estimulação, acompanhamento do crescimento e desenvolvimento das crianças e adolescentes. As metas aqui propostas efetivar-se-ão em parceria com toda a comunidade atendida e com o real comprometimento de todos os profissionais que a elaboraram.

Fundamenta-se na construção de um conhecimento que não é pronto e acabado, mas que está em permanente avaliação e reformulação, de acordo com os avanços dos principais paradigmas educacionais da atualidade ou outras alterações que se fizerem necessárias.

Não deseja ser, portanto, um manual de ação pedagógica, mas um caminho aberto para ser enriquecido pela dinâmica da prática, tanto nos aspectos estruturais, como nos conteúdos e metodologia educacionais praticados.

Pretendemos que o PPP seja o impulsor e condutor do bom desempenho do corpo técnico e administrativo no alcance das metas e objetivos que a Fundação Vidal Ramos se propõe a concretizar durante a sua trajetória.

 

Contextualização

A rapidez com que as mudanças ocorrem no mundo decorrente da globalização e das extraordinárias realizações no campo científico e tecnológico nos revela um quadro de múltiplos desafios. Estamos num divisor de águas, inseridos num novo modelo de sociedade onde somos impelidos, a todo instante, a vivenciar crises de valores e ideologias políticas, sociais e culturais e violências que assolam a humanidade. É neste contexto que devemos lutar pelos nossos ideais de vida, na busca incessante de uma sociedade mais justa, sem preconceitos e solidária. Estamos certos de que é pela vivência da cidadania e do respeito ao outro que tomamos consciência do nosso papel.

Os beneficiários se encontram regularmente matriculados nas Escolas Públicas das redondezas, e também alguns são encaminhados pelo PETI (Programa do Governo Federal contra a exploração do trabalho infantil), estudantes do ensino fundamental.

Construir uma proposta pedagógica para as crianças e adolescentes atendidas no Projeto Espaço Alternativo FVR implica no conhecimento prévio da realidade em que estão inseridas e do meio social e organizacional em que vivem. No entanto, não pode ser entendida como instituição substituta da família, mas como ambiente socializado diferente do familiar.

No Projeto Espaço Alternativo FVR, se prioriza o cuidado e a educação de crianças e adolescentes que ali vivem, convivem, exploram e conhecem, desenvolvem formas próprias de linguagem e comunicação, construindo uma visão de mundo e de si mesmas como sujeitos diante de um estado de direito.

Pensando na responsabilidade que temos diante da sociedade e dos indivíduos que estão sob os nossos cuidados é que elaboramos nossa proposta de ação educativa com a intenção de assegurar a conjugação no presente do verbo ser, e formar agentes de transformação, multiplicadores de bem-estar das comunidades assistidas.

Na maioria, nossa comunidade atendida é formada por filhos de famílias de baixa renda, pertencentes à base da pirâmide social, que moram em áreas de risco ocupadas pelo tráfico de drogas e violências de todos os tipos, portadores de diplomas de ensino fundamental, iletrados, sem acesso aos bens de consumo, entre outros.   Portanto, as carências próprias das crianças e adolescentes, como a interpretação contextualizada das suas necessidades básicas.

O corpo de trabalho da Fundação Vidal Ramos é formado por seis trabalhadores permanentes, dois professores de áreas especificas cedidos temporariamente pela Prefeitura Municipal de Florianópolis e dois estagiários do primeiro emprego da Eletrosul e voluntários.

Enfim, a equipe da Fundação Vidal Ramos que atua no Projeto Espaço Alternativo busca promover o desenvolvimento pleno do ser humano, nas mais diversas competências. Aqui começa nosso trabalho, percebendo a necessidade de apoiar e incentivar as habilidades e os valores inerentes à criança e ao adolescente, respeitando sempre sua individualidade.

 

Princípios Educacionais

O Projeto Espaço Alternativo funciona como extensão da família, na contextualização do mundo exterior, procurando garantir o que preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente, quanto ao desenvolvimento saudável do físico, da mente, das morais espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade.

O PPP, portanto, voltado para a integração dos saberes conhecidos, estimulados, produzidos e recriados elege o ato de brincar, espontâneo e/ou dirigido, como sendo a atividade primordial da criança na Fundação Vidal Ramos. Pois, através do ato de brincar, a criança reinventa o mundo, auxiliando seu desenvolvimento:

1. da cultura de justiça, esperança, ternura e solidariedade;

2. do respeito ao individuo e às suas diferenças;

3. da consciência crítica acerca do mundo;

4. da formação de hábitos, valores e atitudes;

5. da autonomia com responsabilidade e respeito aos limites.

 

Finalidades

O Projeto Espaço Alternativo FVR, atende 80 (oitenta) crianças e adolescentes, da faixa etária de 06 (seis) anos aos 16 (dezesseis) anos, em projetos temáticos dentro das oficinas realizadas.

 

Objetivo Geral

Contribuir para a educação dos atendidos numa abordagem construtivista e sócio-interacionista, entendendo que a criança e o adolescente como seres humanos integrais interagindo intensamente com o seu meio social e em constante crescimento físico e desenvolvimento intelectual.

 

Objetivos Específicos


1. Valorizar a educação como um instrumento de humanização e de interação social;

2. Estimular o desenvolvimento da criança respeitando seu nível de maturação;

3. Priorizar o aspecto lúdico e as brincadeiras como processos de aprendizagem;

4. Fortalecer a participação dos pais nas atividades;

5. Garantir a formação continuada aos professores e demais trabalhadores;

6. Avaliar de forma constante suas práticas pedagógicas.

 

Organização da Ação Educativa

A proposta de trabalho do Projeto Espaço Alternativo FVR está voltada para uma educação contextualizada, respeitando sempre as etapas do desenvolvimento de cada cidadão. Busca-se facilitar o processo e organizar situações de aprendizagem, problematizando-as, para que a criança ou o adolescente assimile e crie seu próprio contexto.

O Projeto Espaço Alternativo FVR considera que a educação é, ao mesmo tempo, processo individual e processo social, facilitado através das inter-relações, pois assim, a criança ou o adolescente desenvolve sua própria inteligência adaptativa na elaboração do conhecimento. O papel educativo proposto será o de estimular a capacidade de descobrir, produzir e criar, e não apenas de repetir conteúdos, como caixa de ressonância. Respeita-se, portanto, a velocidade e o tempo de aquisição de cada criança ou adolescentes para adquirir ou copiar talentos e habilidades necessários para viver num mundo repleto de perigos contra a vida, próximos, crescentes e iminentes.

Para se trabalhar os conteúdos de cuidado e educação de maneira contextualizada e o mais próximo de sua realidade vivencial, o trabalho pedagógico foi organizado da seguinte forma:

 

Planejamento Pedagógico

É o início de toda e qualquer atividade educativa, pois define objetivos, prioridades e estratégias a serem usadas durante o processo de aprendizagem, ajudando na intervenção e dispondo critérios a serem utilizados ou analisados. Ao planejar tem-se em mente o público alvo, suas competências e suas diferentes necessidades conforme a faixa etária e, no caso do Projeto Espaço Alternativo FVR, a realidade sócio-econômica das famílias atendidas respeitando as suas carências especificas.

O planejamento pedagógico, além de flexível, procura contextualizar e considerar os eixos norteadores sugeridos no Referencial Curricular Nacional para a Educação, adequando também à proposta da pedagogia de projetos utilizados pela Fundação Vidal Ramos. O lúdico e o prazeroso são determinantes no fazer pedagógico, pois é possível elaborar atividades para crianças e adolescentes, de maneira que elas possam crescer em ambiente estimulador, seguro, educativo e feliz sem estar replicando os moldes da escola.

O horário para o planejamento das atividades das oficinas será mensal dependendo de cada espeficifidade e é observado com rigor, pois dele dependerá o sucesso da aplicação da atividade. O planejamento é um apoio estratégico do profissional da educação, pois:

1. Esclarece o sentido do ensino;

2. Promove o processo educativo;

3. Organiza espaço, tempo e material;

4. Permite ordenar idéias e reflexões;

5. Facilita o trabalho de aplicação e avaliação das atividades.

 

Estratégia de Trabalho

Os projetos de trabalho também chamados de pedagogia de projetos, constituem uma ação pedagógica específica e planejada que dá sentido social e imediato às aprendizagens das crianças e adolescentes atendidos. Têm como finalidade recriar um papel da aprendizagem, levando em conta as mudanças sociais e culturais que acontecem em cada época.

Os projetos são planejados de acordo com acontecimentos atuais, festivos culturais e históricos das comunidades, que oferecem mobilidade social. Por meio deles, fatos e ocorrências, se pode ensinar melhor, pois a criança e o adolescente aprendem de forma significativa e contextualizada.

O conhecimento é visto sob uma perspectiva construtivista e sócio-interacionista, na qual se procura estudar e pesquisar, com as crianças e adolescentes, de forma lúdica e agradável, respeitando as características internas das áreas de conhecimento envolvidas no trabalho.

O professor desempenha papel fundamental. Além de levar em conta os conhecimentos prévios dos atendidos, propõe desafios, em que a criança ou adolescente possa confrontar suas hipóteses espontâneas com hipóteses e conceitos científicos, apropriando-se desses gradativamente, aumentando auto-estima e conquistando reconhecimento. Significa, ainda, que não se pode limitar oportunidades de descobertas, e que é necessário conhecê-las verdadeiramente para proporcionar-lhes experiências de vida ricas e desafiadoras. Do ponto de vista construtivista, o professor não deve realizar as atividades pelos atendidos, mas auxiliá-los a encontrar meios próprios de fazer as coisas a seu modo. Enfim, é deixá-los serem crianças e adolescentes.

Estes projetos são úteis na medida em que valorizam o fazer educativo, contextualizando situações e acontecimentos importantes. São utilizadas dramatizações, músicas, danças, artes ou outra forma de expressão, para a culminância e síntese de cada bloco de estudo realizado.

 

Organização dos Conteúdos

Os conteúdos a serem trabalhados têm em vista a interação das áreas psicomotora, com a construção de conhecimento e atitudes, e com as características e especificidades do universo de cada faixa etária.   As dimensões motoras, cognitivas, afetivo-sociais e a formação de hábitos, juntas, compõem os conteúdos pedagógicos básicos próprios da faixa etária das crianças e adolescentes do Projeto Espaço Alternativo FVR.

O modo como são organizados esses conteúdos, girando em torno de um tema, ou projeto, privilegiando sempre o contexto lúdico, reconhecem as crianças e os adolescentes como seres únicos e capazes, que aprendem a aprender, a fazer, a ser e se conhecer, conviver com os outros e com o meio ambiente de maneira integrada e gradual.

Nesta perspectiva, as brincadeiras, espontâneas ou dirigidas, o uso de materiais diversos, a música, o jogo, a dança, as diferentes formas de comunicação, de linguagem, de expressão, de criação e de movimento caracterizam as várias maneiras de estimular o desenvolvimento e as conquistas individuais e coletivas das crianças e dos adolescentes.

 

Organização das Atividades Pedagógicas

As atividades pedagógicas do Projeto espaço Alternativo FVR são organizadas de modo a seguir uma rotina que vai desde a chegada até o momento de saída.

O cotidiano do Projeto espaço Alternativo FVR é composto de atividades que envolvem:

1. Recepção e saída;

2. Cuidado de higiene;

3. Alimentação;

4. Atividades de recreação livre nas salas e no espaço externo;

5. Atividades educativas dirigidas e parcialmente dirigidas, tanto nos espaços internos como externos utilizando materiais e locais apropriados para tal fim.

Toda e qualquer atividade vivenciada no Projeto espaço Alternativo FVR tem importância relevante para as crianças e adolescentes. Do ponto de vista didático, destacamos; o aprender brincando, usando objetos, artes, músicas, com intuito de expressão e socialização.

Atividades Livres: É o momento de permitir e possibilitar que a criança ou o adolescente manifeste seu simbolismo, seu imaginário, entrando no seu mundo do faz de conta, de descobertas e imitações. É o momento de interação direta com os outros colegas de diferentes idades, e de descobrirem afinidades e diferenças promovendo assim seu aprendizado individual e social.

Hora do Conto: Este momento é propício para despertar o gosto pela leitura, o prazer de folhear um livro e admirar as figuras que ele contém. Ouvir uma narração, incentivando assim o uso da linguagem e a imaginação das crianças para as lendas e histórias infantis, trazendo fascínio e deixando fluir seu imaginário e o simbólico.

Passeios: Ao planejar as atividades que serão vivenciadas pelas atendidos, pensamos em tudo que possa ser prazeroso e ao mesmo tempo educativo e enriquecedor. O passeio faz parte destas atividades como complemento ou culminância de um determinado projeto.

 

Organização dos espaços

Os espaços devem ser vívidos e organizados, criativos e acolhedores, provocadores de estímulos visuais e cognitivos.

Características físicas do ambiente comunicam mensagens simbólicas sobre a intenção e valores dos professores. Sugerimos que os trabalhos expostos, a decoração tenha a participação das crianças e revelem a proposta pedagógica de proporcionar a ampliação do repertório cultural e vivencial dos alunos.

1. QUADRA DE ESPORTES: Quando se sentem completamente à vontade na sua espontaneidade. É uma oportunidade de o professor conhecer a essência do aluno, como se organizam nos diferentes lugares. É um rico momento de observação, oportunidade de o professor enriquecer e redimensionar seu fazer à luz dos conhecimentos por ele elaborados e pensar a partir da observação, o melhor uso dos espaços.

2. BRINCADEIRAS: Através da brincadeira, a criança se relaciona e toma conhecimento do mundo. Brincar faz parte do espaço lúdico. A brincadeira por prazer amplia o repertório. Portanto, necessário diversificar a brincadeira. Brincar é uma atividade social pertencente às dimensões humanas, que culturalmente foi interligada às ações infantis, deve ser pensada, discutida e valorizada como linguagem e produção cultural. Promover possibilidades de integração em tempos e espaços para a realização de diferentes atividades lúdicas. É função dos profissionais organizarem o espaço e o tempo que promovam a iniciativa dos alunos.

3. MÚLTIPLAS LINGUAGENS: Estaremos ampliando o repertório dos alunos através das diferentes linguagens: arte, código escrito, poesia, teatro, literatura, música, desenho, enfim valorizando toda produção da criança e do adolescente, pois toda produção humana revela uma linguagem, cabe ao educador oferecer suporte, proporcionar condições para a diversificação e manifestação das múltiplas linguagens.

4. LITERATURA: Cabe a nós educadores e à instituição, um convite a contar histórias, seja com livros infantis ou inventadas, que as crianças possam imaginar os personagens e até mesmo o cenário, História com fantoches ou com bonecos de panos, inventados por nós educadores ou pelas crianças.

Ações Prováveis:

  1. Contação de histórias com fantoches;
  2. Contar histórias com fantasias;
  3. Envolver música e poesia nas histórias;
  4. Incluir nas histórias principalmente bruxas, fadas, lobos, contos, personagens;
  5. Promover contação de histórias agrupando as turmas;

5. MÚSICA: A música deverá ser uma linguagem do cotidiano, oferecer todos os ritmos e as diferentes músicas.

6. EDUCAÇÃO FÍSICA: A Educação Física é um excelente campo de socialização de articulação das turmas e dos trabalhos, promove as interações, as vivências coletivas desenvolvidas na unidade, sendo sua principal função desenvolvimento da dimensão social.    

 

Relação Projeto Espaço Alternativo FVR X Família

No início do ano é realizada uma reunião individual no ato da matricula. Se existir algum problema com a criança, é feita uma ligação para resolver o problema, em alguns casos os pais comparecem à Fundação para uma conversa.

 

Organização da avaliação

A avaliação pressupõe reflexão e ação permanentes. Passo a passo registrar fatos sobre cada aluno, suas perguntas, suas reações diante das situações, hábitos de alimentação, brincadeiras realizadas, enfim, registrar o desenvolvimento em todas as suas dimensões.

O desenvolvimento de suas múltiplas dimensões depende fortemente de um ambiente favorecedor, da disponibilidade dos adultos em conversar, brincar com ele, prestar-lhe de fato atenção. Dessa forma os registros, as anotações sobre sua aprendizagem precisam ser complementado e compartilhado por todas as pessoas que se responsabilizam pelos atendidos.

Perceber o aluno como centro da ação avaliatória consiste em refletir sobre o significado de cada momento de convivência com ela.

 

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1998. 11ª edição. São Paulo: Saraiva, 1995.

BRASIL, Estatuto da Criança e do adolescente.

BRASIL, Diretrizes Curriculares Nacionais

FLORIANÓPOLIS, as normas dos princípios da Secretaria Municipal de Educação da rede municipal de Florianópolis.